domingo, 13 de maio de 2018

FALANDO DO JOGO - MAIO/2018 - PALMEIRAS 0 X 1 CORINTHIANS - MAIS UMA DERROTA


Depois da polêmica e da tumultuada final do paulista, eis que Palmeiras e Corinthians se reencontram, agora pelo Brasileiro e em Itaquera.

De um lado um time que vem se notabilizando ao longo dos últimos anos a jogar fechado, esperando o erro do adversário e não desistindo das partidas. Hoje terá o apoio de sua torcida.

De outro, um Palmeiras que vem se encorpando, tendo boas atuações, mas apresentando reiteradas falhas no sistema defensivo, que podem ser fatais. Hoje, sem Felipe Mello, que tomou um inaceitável cartão amarelo, na partida passada, sem estar a bola rolando (escanteio). Mas, por outro lado, como um visitante indigesto (84,4% de aproveitamento, com 12 vitórias em quinze jogos)

Um dado especial. Segundo o globoesporte.com: “O Palmeiras é hoje o terceiro clube com o melhor retrospecto fora de casa considerando as 18 principais ligas profissionais de futebol do mundo. De acordo com o Footstats, o time de Roger Machado só é superado pela Juventus, da Itália, e pelo Bayern de Munique, da Alemanha.

Tivemos um primeiro tempo equilibrado e muito estudado, que foi refletido nos números: posse de bola 49% para o Palmeiras e 51% para o adversário, sendo que ambos tiveram seis finalizações. A diferença, então, qual foi?

O adversário aproveitou a chance de ouro que teve, enquanto nós, minutos antes, tínhamos perdido um gol feito, acertando a trave.

O Corinthians em seu velho esquema soube decidir, rodou a bola, foi a linha de fundo e cruzou para trás. É conhecido de todos, mas continua eficiente.

No segundo tempo o Palmeiras foi muito mal. É certo que foram duas bolas na trave e só. Jailson novamente brilhou, o que mostra, outra vez, a fraqueza do sistema defensivo.

No geral houve equilíbrio em tempo de bola e finalizações. Só que faltou qualidade na definição. E, mais vez, Dudu e Lucas Lima – especialmente – deixaram a desejar.

Roger, infelizmente, não ousa, não cria, não tenta surpreender os adversários. Sempre a mesma coisa, mesmo esquema, mesmas alterações. Estamos vulneráveis e inoperantes.

Por fim, uma lembrança especial a todas mães. Seja onde estiverem, estão diuturnamente cuidando de suas crias, sem descanso. Por isso são heroínas.



12 comentários:

  1. Muito triste ver este time sem alma. O aceito que tenha gente ganhando dinheiro em cima do clube e outra querendo aparecer 😰😰

    ResponderExcluir
  2. Ganhar ou perder faz parte. Só que o Palmeiras de hoje está se especializando a perder sem lutar. Este site já vem falando isso faz tempo. Roger e o Palmeiras só ganham de times menores ou que desconhecem seu esquema. Os demais já viram como nos ferrar, inclusive o gambá. Corremos riscos contra o fraquíssimo América de Minas. Até quando vou aguentar.

    ResponderExcluir
  3. Nos últimos 7 jogos contra o Corinthians, perdemos 6.
    Só isso já seria o bastante pra encerrar essa crítica. Contratamos, a peso de ouro, jogadores como Deyverson, Borja, Lucas Lima, Luan e Juninho. Nenhum deles deu retorno.
    Passivamente perdemos mais uma vez para o maior rival. O Roger no banco, sentado, mas insistindo num modelo tático que deixa o meio campo aberto e o adversário livre pra tocar a bola. Como no gol deles ontem. E os erros pela lateral direita se sucedem. Foi assim que levamos gols de Santos, Boca, Corinthians, América MG e ontem.
    Todo mundo está vendo, menos o nosso técnico que depois do jogo parece que analisa outro jogo.
    Ganhamos vários campeonatos com os garotos da base e NENHUM vêm jogando. Enquanto nosso adversário, só ontem tinha pelo menos 3 em campo. O Dudu não cria nada o jogo todo. Futebol burocrático, recebe e toca pra trás. O Borja não consegue dominar a bola. O Lucas Lima além de criar pouco, não corre, não marca não luta, não chuta a gol.
    Time sem brio. Perde passivamente para o maior rival. Um elenco caro, pessimamente escolhido e nada de novos talentos no time. Um técnico sem vibração e teimoso, mantendo o mesmo desenho tático e jogadores que não estão rendendo.
    Qual foi o jogo bom que fizemos neste ano!
    Chega, a paciência acabou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem toda a razão........infelizmente

      Excluir
  4. Gustavo S Barone14 de maio de 2018 08:38

    Bom dia senhores , se e que isso e possível , até quando.vamos tapar o sol com.a peneira , se o cuca errava com o Borja o Roger erra com o Lucas Lima , inclusive não acho que a culpa seja do jogador que atua fora de posicao ,como pode um time como palmeiras ter um jogador armando o time ,como o Fábio comentou em particular comigo o Roger tem o esquema tático 4-2-1-3 nosso meio de campo e inexistente , não temos a posse de bola , não chegaremos a lugar nenhum com Roger ,ele comete os mesmos erros do Grêmio e do Atlético mineiro ,ontem por exemplo ele entrou com uma formação inédita , que não havia sido feita este ano ,fora isso não acerta uma substituição ,nem falar nas contratações , geralmente supervalorizadas , para não usar outro termo mais " improbo " ,chego a duvidar dos verdadeiros interesses das pessoas que administram nosso futebol .Boa semana a todos .

    ResponderExcluir
  5. Bom dia a todos, em especial ao Fábio e ao Gustavo. As considerações e observações de vocês são válidas. Estamos batendo nesta tecla da incapacidade do técnico em gerir o grupo e criar possibilidades para bem usar o talento dos jogadores. Ao reverso há insistência em um único esquema, sem alternativas, com as mesmas alterações previsíveis e inúteis.
    Acredito, apenas, que a briga, pressão, palavras ríspidas, palavrões em redes sociais, não vai ajudar a resolver. O Presidente há de se posicionar: ou enfrenta a situação do treinador e da-lhe uma posição derradeira ou faz as trocas, inclusive desta forma de administrar como se fossemos milionários, quando em verdade a parceria só adianta valores, que teremos que pagar num futuro próximo. Qualidade e inteligência são os conceitos que devem nortear as contratações e dispensas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Dia Roberto. Esperar posicionamento do presidente atual ? Difícil. Hoje temos a impressão de que a patrocinadora é quem dá as cartas e manda no clube. Triste. Boa semana.

      Excluir
  6. É fato que a patrocinadora hoje tem imensa influência. Só que ela também não quer ficar "mal com a torcida organizada", que já se posicionou oficialmente pela troca de técnico. Tenho dúvida até quando vão peitar e insistir.

    ResponderExcluir
  7. Um jornal de hoje traz a seguinte manchete : "Doce Rotina".
    É muito triste.
    Estamos sendo humilhados até por um jogadorzinho paraguaio, sem falar que uma criança da base do Corinthians fez uma jogada de craque, partindo do meio campo com personalidade, deixando dois de nossos craques(?) vencidos, enquanto Lucas Lima (mascarado) e Dudu (o bebê chorão) andavam em campo.
    E nosso treinador sentado com os olhos arregalados, sem mudar nada...
    Estou muiiiito preocupado com nossa participação em vários torneios em 2018.
    Com esse treinador, com esse time sem vontade, sem vergonha, sem gana, enfim, com pseudos craques, não vamos ganhar nada.
    Acorda Galiotte...
    Abraços
    Roma
    PS - Cadê o Alexandre Mattos ???

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde. Este alerta vem sendo dado há muito tempo. No início, quando ninguém conhecia a forma de jogar tivemos alguns bons momentos, mas a falta de repertório nos faz hoje uma adversário relativamente fácil, porque expomos nossos muitos pontos fracos. É certo que pela qualidade de alguns jogadores (pouco acima da média, só isso), conseguimos fazer gols e vencemos muitos jogos. Mas falta consistência. Se nada mudar, o ano pode ser perdido outra vez.

    ResponderExcluir
  9. Estamos virando fregueses...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior do que virar freguês é ver um elenco apático e desinteressado pelos jogos; um técnico teimoso que não usa o elenco e uma direção que começa a mostrar sinais de omissão.

      Excluir